quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Hurricane parte 14, 15


"Você ainda me deixa nervoso quando entra na sala, as borboletas ganham vida quando estou perto de você, continuamente a única verdade é que tudo me leva de volta pra você." This Town, Niall Horan 



Me aproximando de Nicholas e Paul percebi que havia uma tensão entre os dois, encarei Joe talvez, não fosse mesmo uma boa hora para conversas e apresentações. Sabia que Joesph e Paul tinham problemas, mas não sabia que até mesmo Nicholas tinha um problema com o pai.

 _O que esta havendo mãe? _Joe perguntou a mãe

Denise balançou a cabeça negativamente, mas respirou fundo.

_Nick e seu pai, divergências.

_Como não ter divergências com Paul Jonas?

_Joe por favor não inicie uma briga.

_Eu não iriei se ele não começar.

_Joe_Eu chamei_por favor.

Ele me olhou nos olhos e sem a menor discrição ou timidez por sua mãe, deixou claro_ Apenas por você.

Eu respirei fundo, o clima hoje para todos não era o dos melhores. Depois da pequena discussão com Joe me perguntei se algum dia ficaríamos sem brigar por qualquer coisa, nossa primeira conversa séria terminou em biga, o nosso café da manhã terminou em briga, nosso jantar terminou em briga... Tudo entre a gente termina em briga. Espero que nem tudo, na verdade certas coisas nem podem ser consideradas brigas.

  Mas como ele poderia não perceber que o assunto sobre o contrato me magoava? Deixei claro que aquele contrato me fazia sentir humilhada, tenho certeza que falei com todas as letras.

_Bom dia Paul_Joe disse assim que chegamos a mesa.

_Bom dia Joseph.

Agora eu sei da onde Joe herdou a frieza, é do pai. A genética nunca falha.

De todas as pessoas com quem convivi Paul era o quem eu menos conhecia, ele nunca estava, sempre chegava tarde do trabalho. Me lembro de que Paul e Denise quase se separaram aos gritos , Paul teria tido um caso com a secretária e tido um filho fora do casamento. Foi um escândalo, minha mãe me colocou sobre o balcão da cozinha e riu agradecendo que dessa vez não fora a empregada. Ergui minha cabeça com a lembrança, eu a empregada estou em um relacionamento com meu patrão, ex patrão.

_Bom dia senhor Paul, Nicholas.

_Bom dia Demi, ou devo dizer cunhadinha.

Fiquei vermelha por um momento morrendo de vergonha.

_Bem, pode me chamar como quiser.

_Que tal pistoleira?

Paul disse sem a menor cerimônia, o encarei assustada e pensando não ter ouvido direito.

_Como disse?

_Pistoleira, bandida, trapaceira...

_Paul!_ Denise exclamou horrorizada e Joe riu.

_Você tinha começar, não é?_Joe disse ao pai_Por que você não se cala?

_Ela esta apenas tentando dar um golpe em você Joseph, mas não é meu problema. Eu pensei que todas as coisas que você é, burro não era uma delas.

_O que você faz aqui?

_Paul pelo amor de Deus!_Denise parecia tão chocada quanto eu.

Eu estava completamente perdida. Eu dar um golpe em Joe? Esse homem é louco.

_O que foi a queridinha Lovato esta esperando um filho seu?

_Eu não sei com que tipo de mulher o senhor esta acostumado senhor Jonas, mas eu não vou tolerar que o senhor fale assim de mim na minha presença. Eu não intenção nenhuma de roubar um único dólar do seu filho, nem do senhor. Eu não estou grávida, mas caso eu venha a ficar grávida farei questão de o senhor ser o primeiro a saber sobre seu netinho, mas por ora eu vou ao banheiro._Me virei para Nick e lhe dei um abraço_Que bom ver você Nick.

Virei minhas costas, e ouvi dizer "se ela derrubar uma só lágrima por sua causa eu juro por Deus que nunca mais falo com você" "ela é uma empregadinha não vale a pena" "você não vale a pena, pai". Meu Deus isso não vai acabar bem. Minha vontade era de ir embora. Olhei para trás e vi que eles ainda discutiam, todos eles, agora até mesmo Denise falava, Nick havia se levantado, não queria ver essa coisa piorando.

 Virei as costas deixando a toalha na mão do garçom.

_A senhorita esta bem?

_Sim.

Eu respondi amarrando minha canga na cintura e saindo do maldito restaurante em direção a rua. Agora muitas coisas faziam sentido na minha cabeça. Com um pai como Paul, como podia querer ou saber o que é uma relação de verdade?

  Eu não poderia ficar ali dentro sendo insultada dessa forma, eu precisava voltar pra casa onde eu conhecia o que era casa.

_Senhorita Lovato?_Peter estava ofegante em minha frente_As suas coisas e as do senhor Jonas, a senhorita... Tudo bem?

_Me leva pra casa Peter, por favor.

_Sim senhorita, eu vou pegar o carro e leva-la para casa...

_Não, quero voltar para Seattle agora.

_O senhor Jonas...

_Vai ficar a família dele, eles tem coisas a resolver. Que horas um avião sai desse lugar?

_Craig vai para capital daqui 20 minutos, de lá a senhora pode pegar um avião e voltar para Seattle.

_Perfeito. Diga para Craig me esperar por favor... Melhor, me leve a Craig agora, mande minhas coisas depois, meu celular...

_Esta aqui senhorita.

_Então vamos Peter preciso sair daqui.

Nunca pensei que um lugar como esse, que parece um paraíso podia me deixar sufocada.
 Peter relutou um pouco em seus olhos sobre fazer algo sem a permissão de Joseph, mas eu sabia que era ordem de Joseph fazer o que eu peço. Ele concordou, me levando a Craig, que estranhou e questionou por que Jopseph não havia falado nada para ele, meu Deus! Esse homens todos não tomam uma atitude sem passar por Joseph antes. Esperava de todo coração que minha fuga não causasse a demissão de ninguém.

_Craig_eu o chamei _eu preciso voltar pra casa, você já sentiu essa necessidade quase esmagadora de voltar pra onde se sente seguro?_ele não disse nada apenas olhou para o infinito_Eu preciso muito disso agora.

_Entre.

Ele disse contrariado, mas me deixou entrar em seu pequeno avião. Ele ligou todos os botões se conectando a rede, meu celular tocou, olhei na tela apenas para confirmação mórbida era Joe, mais rápido. Desliguei meu celular e finalmente o avião se foi.
 Eu respirei aliviada. Apenas uns segundos, antes de começar a me sentir culpada "pare de fugir porra", a frase de JOe hoje mais cedo não sai da minha cabeça. Precisava me desligar precisava mesmo disso.

_Craig, tem algum remédio para dor de cabeça?

_Não senhorita.

_Obrigada mesmo assim, quanto tempo vamos levar pra chegar a capital?

_Uns 20 minutos.

_Sim.

Eu posso sobreviver a 20 minutos. "pare de fugir, porra!" "pare de fugir, porra!", ah meu Deus, como eu posso parar de fugir se estou fugindo?  Não estou fugindo do Joe, ele precisa saber disso, estou fugindo da situação, por que as cosias não podem ser mais fáceis? Lógico que sonhos não duram uma vida inteira, por que sou tão covarde? Eu o quero, quero estar com ele, então por que estou aqui e não ao lado dele no momento em que ele precisa? por que não tentei entender na hora que a situação também era nova e difícil pra ele? por que estou dizendo adeus sem tentar tudo o que eu posso tentar para fazer essa loucura dar certo? Por que estou desistindo do amor da minha vida? O que há de errado comigo agora?

 Não estou desistindo estou dando tempo para pensar, alguns dias, não é o final de nada, não é o final de nada, não é o final de nada, não é o final de nada... Ele gosta de mim, eu acredito nele, ele não vai desistir, ele vai entender que eu preciso de tempo, ele virá atrás de mim, ele vai entender, eu sei que vai.

Mas, meu coração não concordava com tal opinião ele doía, eu sabia que quando chegasse a Seattle tudo estava perdido, tudo estaria acabado. Ele estaria cansado, ele nunca precisou correra atrás de mulher nenhuma, por que viria atrás de mim? Por que de mim ele gosta de verdade, ninguém beija alguém daquela forma sem sentimento envolvido, mas um beijo é só um beijo, uma palavra é só uma palavra, e ás vezes não querem dizer nada, ás vezes são apenas momentos.

Eu chorei. Eu finalmente chorei, em anos eu chorei. Toda minha vida me passou sobre minha mente, lembranças, medos, cicatrizes, traumas, horrores, inseguranças. A vida tem dessas coisas malucas, quando algo da errado você pensa em todas as outras coisas que já deram errado.

Mas, esta, dessa vez foi minha escolha errada.

Meu pensamento pessimista me deixa deprimida, mas não consigo evitar.


PARTE 15


"Esta na minha cabeça querido eu espero que você esteja aqui quando eu precisar muito de você, então não me decepcione..."  The Chainsmoker ft Daya, Don't let me down 

Eu acordei no meio da noite, perdida e soada. Onde eu estava? Me sentei assustada e vi que estava na cama da Selena, respirei fundo 4 dias e Joe não tentou falar comigo. Ele estava mesmo bravo. Daqui algumas horas eu teria minha formatura finalmente terminaria um passo do meu inferno e depois começaria outro: procurar emprego sem nenhuma experiência. Talvez, eu devesse começar a trabalhar na loja que visitei semana passada. De limpeza e roupas eu entendia, isso eu podia fazer, eu sabia disso.

 Me levantei e fui até a cozinha eram 3:00 da manhã, como todas as outras madrugadas eu sempre acordava a essa hora. Peguei meu celular da mesa e disquei o numero do Joe, mas não liguei, desliguei a tela e abri a geladeira precisava de água.

 Na hora da formatura eu estaria parecendo uma zumbi, uma espécie de quem eu deveria ser num dia especial como hoje, intitulado como:o dia que a vida termina!

Não comia direito a comida me enjoava, até o mesmo o cheiro de comida me fazia mal. Não estava doente, não estava grávida, apenas deprimida demais até pra comer. Estava triste demais pra ser normal mesmo por um dia. O bom é que com o fim da  faculdade eu poderia passar alguns dias sendo um zumbi sem comer até morrer.

_Demi?_Selena me chamou da porta _Amiga você precisa dormir, daqui a pouco você estará livre.

_Não sei o que me incomoda mais eu ser burra ou não ter uma única palavra de Joe? Eu sei lá... Eu só esperava encontrar alguma resistência da parte dele em me deixar, mas não ele... Ele concordou com a minha desistência, ele não fez nada, ele não falou nada Selena, nem uma palavra! Como eu pude ser tão idiota? Tão ingênua? Tão... por que eu não fiz nada? Por que eu fiz tudo errado?

 Selena respirou fundo e balançou a cabeça, ela sabia que eu ia chorar, eu já estava chorando. Não conseguia não pensar sobre o assunto, o dia todo, eu quase não falava com ninguém, nada além do necessário, mas isso não saia da minha cabeça. Era como se eu estivesse de luto, a dor no meu coração me tomou toda, eu não podia falar sem chorar, não conseguia comer ou dormir, não conseguia falar com as pessoas, não conseguia disfarçar minha tristeza ou disfarçar o mau humor que se fez parte de mim com freqüência.

_Eu cansei de falar pra você parar, então se te faz sentir melhor chore _Selena disse vindo ao meu encontro me abraçar.

_Por que tem que ser assim?_Eu perguntei entre os prantos.

_As coisas acontecem como devem acontecer Demi.

_Isso não ajuda em nada, isso não explica nada, não alivia nada. é uma frase boba pra quem quer aceitar as coisas como estão, eu não quero aceitar isso, eu não vou aceitar isso... Merda eu me apaixonei por um homem sem coração! E pior eu sempre soube disso.

_Ele disse que respeitaria você, se você não queria, ele não te obrigaria a nada Demi.

_O que?_Eu perguntei confusa

_Sou a secretaria executiva, melhor amiga da única mulher que pelo que eu soube ele sentiu amor de verdade.

_Conversa furada de homem Selena "ai nunca senti isso por ninguém antes" a maior mentira contada na face da terra!

_Eu não entendo, você quer ficar com alguém, mas você não acredita no que é dito.

_Eu to magoada tenho o direito de duvidar.

_Foi sua escolha Demi.

_Ele não fez nada Selena, aceitou isso assim, fácil como quem não quer nada.

_Você tem razão, mas você também já admitiu que toda essa situação era nova pra ele assim como pra você.

Me servi de uma xícara de chá de menta e fui pra sala.

_Demetria você é minha melhor amiga e esta mais pra baixo que a noção de certas pessoas. Eu nunca vou ficar contra você, e sempre vou estar aqui pra você, mas eu não sei o que te dizer sobe tudo que me contou, eu não sei, não sei mesmo. Vocês gostam um do outro, não entendo por que não estão juntos, não sei qual dos dois esta dificultando mais a vida.

_Selena eu tmbém não sei, não entendo. Deveria ser fácil, mas não é. Não é conto de fadas ou papo furado de foto do facebook, é a merda da vida real, e na vida real as pessoas estragam a própria vida, cometem erros, são orgulhosas, infelizes e amargas. Era tudo o que eu não deveria aceitar.

_Não deixe isso estargar seu coração.

Eu olhei pra ela sorrindo entre as lágrimas confirmando que não deixaria, mas isso já tinha estragado meu coração. Não iria contar pra ela, não iria contar que estava me sentindo meio morta por dentro, que meu coração estava pesado, que meu corpo implorava por desistência, eu estava cansada. Não sabia bem do que, mas estava.Estava acabada por dentro, magoada, machucada. Ela é minha amiga ela deve saber, mas prefiro fingir que ela não sabe, assim eu não preciso admitir.

Besteira dizer que o tempo cura tudo, não cura ele ameniza. E eu preciso de tempo só isso, tempo. Eu tenho tempo. Nós temos tempo.

_Selena vai dormir amiga, você trabalha amanha_Ela me olhou pronta pra recusar, mas eu neguei_ Eu estou bem e quero ficar sozinha.

_Você passa tempo demais sozinha.

_Sempre.

Selena me deu um beijo na testa _Eu te amo.

_Eu também te amo_Era  bom ouvir isso e saber que é verdade.

_Todo dia._Ela piscou e saiu.

Eu olhei pra ruas pela janela a cidade é linda toda iluminada, a lua cheia, como eu amo a cidade durante a noite, é tão linda! Eu poderia me mudar ir para outro lugar começar de novo, longe daqui, não sei talvez o meu lugar nem seja esse.

  Um som distante me acordou pra vida novamente, conhecia esse som, era meu celular. Estava tocando, ás 03;35 da manhã? Eu o peguei num pulo achando que podia ser Joe, mas não, era Ruth. O que ela queria comigo? Joguei o celular  longe terminei de tomar meu chá. Eu não queria falar com ela, ela não era culpada de nada, mas não queria ouvir a voz doce da demônia loira de olhos azuis.

Finalmente ás 15 pras 7 da manha eu peguei no sono. E dormi.

Ás 14 da tarde eu me levantei tomei um banho, me arrumei, passei uma maquiagem simples não havia nada que eu pudesse fazer para melhorar por dentro, mas por fora eu fazia uma forçinha, afinal ninguém precisava saber o que acontecia comigo. Vestido preto, salto alto, batom vermelho, delineador, rímel, sombra e um pouco de blush isso devia dar uma disfarçada.

Peguei meu celular e vi que havia perdido 8 ligações, mas não tinha bateria e nem tempo. Deixei meu celular pra trás e fui pra formatura.

 Cumprimentar professores, falar com alguns colegas, alguns pais... Olhando por trás das cortinas do palco vi que Selena não estava lá, desejei ter meu celular e ligar pra ela.

_Meu Deus como você esta linda!_Ally e seus pais e namorado Caio, eu acho estavam ao meu encontro_ Que bom que esse inferno vai acabar.

_Sim, você também esta linda.

_Obrigada ah mãe_isso doeu em mim eu queria ter minha mãe ao meu lado_essa é minha salvadora Demi, e Demi essa é a minha de vida minha mãe Alicia e meu herói Carlos.

_Oi prazer conhecer os dois_Eu os cumprimentei sorrindo sentindo inveja da sorte da Ally em ter seus pais num momento especial como a formatura da faculdade.

_Bem, eu sou só o namorado dela, mas você já me conhece._Eu ri dele

_Como vai Caio?

_Muito bem e você?

_Sabemos do que aconteceu com Joe... Que pena!

_Como assim?

Como eles poderiam saber o que houve entre mim e Joe? Certo, que haviam muitos papparazzi em nosso encauço, mas não teria como eles saberem que eu e Joe terminamos, se é que tínhamos alguma coisa?

_Do acidente do seu namorado.

_O que?

Medo, terror tomaram conta de mim, do que estavam falando?

_Caio eu não sei do que você ta falando, o que houve com o Joe?

_Você não soube?_Ally pulou na frente de Caio_Ai Demi eu sinto muito.

_O que houve Ally?

_Ele sofreu um acidente de carro essa madrugada, na interestadual Demi, ele ficou internado, não tem muitas noticias, a família pediu privacidade, mas se sabe que foi sério.

_Ah merda!_Eu coloquei minhas mãos sobre a cabeça e cobri minha boca_Preciso ir vê-lo... Ally me empresta seu celular.

Ela pegou o celular e me deu_ Aqui.

Disquei o numero da Selena, ela devia saber de alguma coisa.

_Atende Selena, atende pelo amor de Deus,_Depois de alguns segundos Selena atendeu_Selena é a Demi, o que houve com o Joe?

_Demi?

_É caralho.

_Calma, ele tá bem... Mas ta fazendo uma pequena cirurgia Demi, o acidente foi sério. Tentei te ligar, mas você não atendia Demi.

_Onde ele esta Selena? Qual o  hospital?

_Central.

_Eu to indo pra aí agora.

Desliguei o celular e entreguei a Ally, sai dali correndo empurrando qualquer um que estivesse na minha frente, eu precisava vê-lo. Eu não poderia perder ele assim do nada. Isso não podia acontecer, de novo eu não poderia perder mais uma pessoa que eu amo, não pode ser real.

Era lógico que eu não conseguiria pegar fácil um táxi depois de 3 tentativas eu consegui pegar um, chorando avisei ao taxista para ir pro hospital central.

_Tudo bem moça?

_Não, por favor vai.

_Não sei o que acontecendo e sei que não é da minha conta, mas tenha fé que vai ficar tudo bem.

Eu sorri por entre lágrimas para ele, um ato gentil pode gerar outro ato gentil.

_Obrigada, obrigada.

Ele dirigiu apressado enquanto eu suspirava e chorava, precisava pensar que estava tudo bem, Joe é forte, não foi nada, nada demais ele vai ficar bem, eu sei que vai.


quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Hurricane Parte 13



" Porque não tem comparação o momento em que acordo e você me pega em seus olhos essa beleza no meu travesseiro me hospeda no meio da noite..." Ella Henderson, Yours


  Estava deitada de biquini observando Joe nadar, eu poderia entrar na água, mas não poderia nadar. Eu nunca aprendi a fazer isso. Eu me levantei e fui até a beira do mar, a brisa, á água gelada, tudo estava fora de mim, mas parecia fazer parte de mim de algum jeito. Eu olhei para o Joe e meu coração se apertou no peito com uma dorzinha chata.

 Eu ainda não acreditava que tudo aquilo estava acontecendo era assustador. Joe voltava pra mim com um abraço ou um beijo toda vez e isso era tão diferente de tudo que já tive. Eu acho que estou com medo de ir e encarar a vida como ela é realmente, tenho medo de quando voltarmos pra casa ele se lembre que eu não sou nada além da empregada e de como essa loucura começou. Isso não acontece na vida real. Na vida real você não fica com quem você ama. Nunca.

Eu fechei os olhos e pedi a Deus ou as deuses, qualquer coisa que fosse maior do que eu que não me deixasse perdê-lo, que pudessem me deixar ficar com ele, mesmo na vida real.

Com todas as responsabilidades que ambos temos. Com todos os sonhos que ambos temos. Com todos os planos diferentes que temos. Espero que nosso futuro seja juntos. E que se acabar que não seja...

Não consigo ver isso acabar sem me ver muito machucada.

Abri os olhos e Joe estava na minha frente todo molhado e parecia intrigado.

_O que você tanto pensa que nunca fala?

_Não sei, nada concreto._Dei de ombros_Muita coisa, por que a curiosidade?

_Por que você parece triste.

_Acho que vou sentir saudade daqui.

_A gente sempre pode voltar Demi.

_A gente pode?

_Claro._Ele beijou minha testa e me abraçou_Vamos tirar isso._Ele tirou os meus óculos e me beijou _Vamos para a água.

Ele me puxou mais pra dentro do mar.

_Eu não sei nadar Joe, sério.

_Não precisa saber, eu  te seguro bebe.

Nas costas do Joe empoleirada como uma criança, com as minhas pernas em sua cintura e e agarrada ao seu pescoço, eu tecnicamente entrei na água; Gelada como deveria ser, mas não conseguia reclamar há quanto tempo não entrava no mar? Tão ao fundo? Desde pequena, meu pai ainda era vivo.

_Joseph para, vamos nos afogar.

_Eu duvido muito._Ele disse se afundando na água propositalmente e me levando junto com ele.
  Fechei os olhos e a boca e me deixei ir tranquilamente, não sei nadar e nunca tive a intenção de aprender, mas se deixar afundar com alguém é questão de confiança. E por mais estupido que pareça confio em Joseph.

Joseph subiu novamente e ficamos na água observando a imensidão azul e toda sua beleza, até que ele respirou fundo e disse.

_Eu... Nós precisamos conversar... Mais tarde.

Um pequeno alerta soou em minha mente.

_Sobre o que precisamos conversar?

_Quando voltarmos pra casa.

_Então vamos agora pra casa.

_Você não pode esperar?

_Não.

_Você é tão curiosa.


_Não é curiosidade Joseph... O que há de errado?

_Nada, nós apenas precisamos acertar umas coisas, apenas isso.


_Que tipo de coisas?

_Não pode mesmo deixar pra depois?_Fiquei em silencio, se não estivesse na água eu sairia daqui_Demi não quero que fique brava, mas temos coisas a acertar sobre o contrato.

_Esse maldito contrato de novo? Não tínhamos combinado que você o esqueceria? Que nós o esqueceríamos?

_Sim, mas houve um problema, eu vou resolver, mas queria conversar com você antes.

_Que problema?

_Você o assinou?

_Sim, acho que sim._ Uma noite dessas por brincadeira, pensei em queimá-lo, mas apenas o tranquei em uma pasta para devolver ao Joe, não pensei que faria mal assinar.

_Vou precisar dele.

Um sinal mais alto soou em minha cabeça dessa vez.

_Para que vai precisar dele?

_Ruth pediu.

_O que Ruth tem haver com isso? _Eu já estava farta dela, Ruth parecia querer se infiltrar em nossas vidas desde aquela bendita festa, ela é insuportável.

_Ela é minha amiga e advogada Demi...

_E uma das mulheres que você deixou apaixonada por você depois de algumas noites espetaculares e gentilezas medidas.

_Você pode ser tão cruel ás vezes._Pelo seu tom de voz notei irritação e me perguntei por que ele se irritou.

_É mentira Joe?

Ele fez silencio, e começamos a voltar para terra firme.

_Você não é a Ruth ou nenhuma outra mulher com quem já transei Demi, e sentir ciúmes da Ruth é idiotice. Ela não significou nada pra mim no passado e não significa nada pra mim.

Ele me colocou no chão me jogou uma toalha e pegou outra para si.

_Pensei ter ouvido você dizer que ela era sua amiga e advogada isso requer algum nível de significado. E não é ciúmes Joseph, eu não gosto dela, apenas isso.

_Você faz questão de falar isso.

_E você parece não entender.

Enrolada na toalha sai da praia em direção ao restaurante. Ao entrar dei de cara com a família Jonas acomodada em uma das meses de frente para janela. Fiquei paralisada. O que eles estavam fazendo aqui? Será que sabiam de Joe e eu? Como eu deveria agir? O que deveria falar? Há alguma regra de etiqueta para esse tipo de situação?

 "Oi sei que me conhecem por que sou filha da ex empregada de vocês e agora sou ex empregada do seu filho e namorada dele, como vão?"

Que pensamento estúpido Demetria!

O quão estranho e complicado é conhecer a família do seu namorado? E se for depois de uma briga piora?

Virei as costas e esbarrei no Joe.

_Demi... Por que você sempre faz isso? Temos que conversar e você age como se eu tivesse feito algo imperdoável que diabos!

_Seus pais estão aqui você poderia guardar seu sermão e mania de superioridade para depois, é uma situação inteiramente nova para mim.

_Para mim também, duvido que seja impossível.

_Você não percebeu o problema? Fui criada perto deles como a filha da empregada, sou sua empregada!

_Ah pelo amor de Deus você não é mais minha empregada aliás contatei outra, conversamos sobre isso depois. Você pode ter sido criada como a filha da empregada, mas agora será apresentada como minha namorada. Melhore esse terror em seu rosto.

_Não estou com humor para brincadeiras.

_Nem eu... Mamãe nos viu Deus tenha piedade de nós.

_Estou assustada.

_Quem não estaria é Denise Jonas... Demi vire-se.

_O que?


Só então percebi que estava de costas para a mesa onde se encontravam a família Jonas, quando me virei Denise Jonas e seu lindo vestido vermelho estavam em minha direção o sorriso sugeria alegria, mas o olhar, sugeria... Desconfiança e curiosidade, talvez raiva.

_Joseph ela esta brava, por que ela esta brava?

_Mamãe esta quase sempre brava comigo.

_Parece ser um efeito comum que você causa nas mulheres então.

_Não comece a me provocar.

_Não me trate como criança Joseph.

_Esta se comportando feito uma.

Eu ia sair de perto dele, mas ele agarrou minha cintura.

_Pare de fugir porra! _Ele sussurrou no meu ouvido_Tudo isso é novo pra mim também, estou tentando Demi, tente comigo por favor.

Sosseguei em seus braços e sorri para Denise que estava próxima de nós.

_Joseph Adam Jonas o que eu fiz pra você me odiar tanto?_Denise disse assim que parou em nossa frente._Esconder o namoro com a Demi de mim que pecado como mãe eu cometi?_Denise abriu seu melhor sorriso_ Querida, faça-o pagar por isso, mas primeiro me dê um abraço.

O QUE???? Depois de um segundo chocada abracei a Denise.

_Como a senhora esta?_Eu questionei pasma e tremendo um pouco.

_Muito bem, ainda mais depois da noticia que vocês dois estão namorando e noivos? Demi meu filho não deixou você me contar?

_Ah mamãe por favor! Como se alguém pudesse mandar na Demetria!

_Uma boa mulher não é mandada ou submissa Joseph, aprenda isso de uma vez por todas._Denise me largou e abraçou o filho com carinho e amor que apenas uma mãe pode oferecer_Como esta querido?

_Muito feliz mamãe, preocupado, nervoso, meio louco por que Demi rouba minha sanidade, mas não posso reclamar estou muito, muito feliz.

Denise abriu um sorriso radiante e abraçou o filho novamente.

_Não poderia ouvir nada melhor. E você Demetria como esta?

_Igualmente feliz Denise, seu filho é maravilhoso, apesar de irritante._Eu ri pra ela piscando.

_Desde criança querida, desde criança. Então quem vai me contar por que tive que ler sobre o relacionamento de vocês?

_É recente_Joseph disse_Os paparazzi são parasitas, não nos deixam ter a privacidade e tempo necessário para contar a quem realmente interessa mamãe.

_E o noivado é real?

_A imaginação da imprensa esta correndo_Eu respondi a primeira coisa que me passou pela cabeça.

_Eu não reclamaria.

_Mamãe vamos pra mesa, estão esperando. E por que o pai esta impaciente?

_Seu pai vive impaciente._Denise pegou minha mão.

_Eu tenho que pegar minha canga...

_Aqui bebe_Joe me entregou em minha mão livre_Mas, se troque no banheiro.

Revirei os olhos estava apenas de biquíni até agora pouco.

_Vou cumprimentar a sua família primeiro e depois eu vou amor.

Denise apenas olhava nosso diálogo e reações e sorria. Ela aprovou. Mas a cara de Paul, me diz que ai vem merda das grandes.













Não sei nem o que dizer então vou me fazer de tola e fazer de conta que faz meses que eu não posto nada. Perdão e vida que segue.... Boa leitura disasters se ainda houver algum ;)