terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Hurricane Parte 2

 "Então, você diz que sou complicada que eu devo ter perdido a cabeça, mas você estava me subestimando... O que há de errado em ser confiante?" 


  Eu nem poderia pensar direito enquanto limpava toda a casa, passava as roupas. O trabalho era bem monótono e comum para o meu cérebro. Então, foi tudo bem rápido. A cada hora que passava mais ansiosa eu ficava para vê-lo, eu corria para a enorme janela da sala. Lógico que não via ele, mas olhava pra avenida movimentada do mesmo jeito.

  Quando deu 18:30 o telefone tocou. Meu coração pulou. Minha respiração falhou. Eu respirei fundo. De alguma forma eu sabia que era ele ou apenas queria muito que fosse. Corri para atender o telefone, e quando atendi simplesmente não podia parar de sorrir. A voz dele tomou conta do meu corpo e meu coração se acelerou. Santo Deus eu estava com saudades dele.

_Boa tarde Demi._Ele disse e eu me sentei no sofá com as pernas dobradas mordi meu lábio sorrindo e respondi a ele._Esta tudo bem bebe?

_Sim e você como esta Joe?

_Muito bem obrigada, melhor agora com certeza. Agora, vamos ao que interessa, sim?

Hum... Eu fiquei confusa, mas ele riu._O que você esta vestindo querida? Se disser que não esta usando nada em cinco minutos estou aí, juro.

Eu não sei porque, mas eu ri alto.

_Sinto lhe decepcionar Joe. Mas, estou bem vestida._ Eu olhei pro meu shorts e camiseta.


_Hum... Que pena! Bem, eu vou estar em casa dentro de uma hora e eu vou levar o contrato pra você analisar antes de assinar, quem sabe você tem alguma coisa que queria mudar ou alguma exigência.

_Eu... Isso é realmente necessário Joe?

_Sim. É uma segurança.

_Pra você, então tudo bem eu só...

_Não Demi claro que não, é uma proteção pra você, pra mim, para nós.

_Você tem certeza disso?

_Sim eu tenho.

_Isso te faria feliz, Joe?

_Sim, muito.

_Okay, então eu posso ver isso por você.

_Muito bem bebe, a gente se vê daqui a uma hora.

Passei uma hora inteira andando de um lado para o outro. Olhei para a estante repleta de livros, livros dos quais eu nunca mexia apenas lia os nomes, mas nuca passava da primeira pagina. Passou pela minha cabeça pedir a Joe que me deixasse ler alguns. Revisei a conversa que tive com Joe sobre me casar com ele, os pontos principais para mim eram que ele seria meu e apenas meu por um ano. O que mais eu poderia querer?

 Já sei, um pouco de estabilidade, algo real de verdade, amor, paixão e não um negócio com data de acabar. Mas, quero tanto tê-lo pra mim que não me importo, isto não é sensato, mas eu estou apaixonada e nada no mundo é melhor do que estar ao lado de quem a gente ama; mesmo não sendo do melhor jeito. Isso é tão estupido!

  Como posso achar uma boa ideia um negocio que envolve eu me entregar completamente a um homem durante um tempo determinado? O que minha mãe pensaria se fosse viva? Mas, eu me importaria com que ela iria pensar? Bem, mas não é assim que são todos os relacionamentos? Você se entrega a outra pessoa sem saber por quanto tempo irá durar, mas você deseja que dure a vida toda. A bendita fé cega no amor!

Ouço barulho no trinque da porta Joe a destranca e eu me viro ele abre a porta e meu coração se alegra em vê-lo, tão lindo e tão belo para o meu coração. Não posso evitar me alegrar com sua presenças, mas como sempre me contenho, mesmo querendo correr para os seus braços e me aninhar ali para sempre se possível.

Uma mulher loira com cabelos compridos e olhos azuis o acompanhava, a beleza daquela garota, não podia ser real. Eu parei um minuto estava com ciúmes, não era a primeira vez que eu via Joe acompanhado de uma mulher linda. Me perguntei se já havia sentido ciúmes dele antes, e lógico que a resposta era sim ,e eu já senti ciúmes dele, mas, agora havia o sentimento de posse, ainda nem casamos e estava segurando um monte de perguntas do tipo, QUEM DIABOS É ESSA???

_Boa tarde._A garota me cumprimentou, ela tinha a voz doce e um sorriso educado, me senti feia e horrorosa e tive vergonha da minha voz estranha e baixa.

_Boa tarde_Respondi tímida, tomando cuidado para não olhar pro Joe.

Joe sorriu pra mim e me deu um selinho_Essa é a garota que eu falei pra você Ruth, minha noiva, ela não é linda?

Ele me abraçou pela cintura e beijou meu rosto, eu não soube como reagir então apenas abaixei minha cabeça e sorri pro chão completamente envergonhada e achando incrível essa coisa nova em mim, ainda identificada, mas mais uma pra lista de coisas que ele me faz sentir.

_Demi essa é Ruth minha amiga e  advogada.

_Prazer.__Eu disse a ela me virei para Joe falando o mais baixo que pude_Ela sabe do nosso acordo?

_Sim_Ele me respondeu sorrindo_Mas, não se preocupe ela é muito profissional e confiável eu posso lhe afirmar isso._Ele beijou minha testa.

Eu concordei sorrindo e querendo que ele tivesse comentado isso pelo telefone isso mais cedo.

_Então, vamos começar com a leitura do documento?_Ruth perguntou apressada e abrindo a maleta preta que eu nem havia notado ainda, e percebia que havia muita coisa na cor preta em suas coisas.

_Claro_Joe respondeu_Demi pode levar Ruth a cozinha?

_Sim._Eu respondi ainda confusa, tentando me lembrar de já ter visto Ruth antes, mas não conseguia me lembrar dela, nem mesmo seu nome me é comum dentro dessa casa. No corredor eu criei coragem e me virei pra ela, não para encará-la, apenas para poder olhar seu rosto.

_Você e Joe são amigos há muito tempo?

_Sim. Alguns anos.

_Hum, como se conheceram?

_Joe deu em cima de mim em um bar em que estávamos... Foi uma noite bem interessante._Ela sorriu como se eu soubesse do que ela estava falando._Ele sabe ser bem convincente quando quer, fora a beleza, o charme e o carinho dele, Um homem quase perfeito.

_Quase?

_Quase. Ele tem de tudo pra ser o homem da vida de metade da população feminina do mundo, pena que ele prefere apenas se divertir por uma noite, ou duas. Ou quando ele quer. Para Joe Jonas, nunca existe uma única mulher por mais de uma noite.

Pensei nisso e me peguei pensando em todas as mulheres que saiam desse apartamento na manha seguinte iludidas achando que ele ligaria de volta. Ou ainda quantas vezes ele dormiu fora de casa, ou chegou no meio da noite. Ele me prometeu que ele seria só meu por um ano, será que ele conseguiria isso? Eu devia confiar no que ele me disse? Palavras são apenas palavras, por que ele as tornaria alguma coisa? Eu me engoli e continuei andando.

_Como se tornaram amigos, se tiveram um relacionamento tão interessante?

_Simples, conheci Michael._Melhor amigo de Joe. _No começo Michael era apenas uma escada para eu tentar chegar no coração do Joe, acabei me apaixonando pelo Mike, e perdi no interesse por Joe e melhor ainda, descobri que Joe não tem coração, pelo menos não um que se apaixona. _Ela riu alto_ Então, fiquei como amiga de Joe, e esposa de Mike.E sabe de uma coisa? Eu amo Mike, eu o achava patético antes, que, diria?

_É, quem diria? Dizem que o amor faz coisas.

_Sim, faz.

Eu que o diga, olha onde eu estou me metendo, se não for por amor é pelo que então? Se o amor não fizer alguma bagunça no que estava arrumado,então não é amor. Mas, é depois da bagunça que a gente tem certeza se ou não amor. Quando não tem nada além da sensação de paz, mesmo quando tudo esta desmoronando.

 Eu gostaria de saber se realmente existe algo assim de verdade, ou isso é apenas algo que um poeta apaixonado diria. Talvez, seja apenas algo inventado por um poeta apaixonado e otimista, quem sabe um pouco bêbado.

Bem, de qualquer forma, isso não é algo que o Joe possa sentir ou me deixar sentir.

Ela se sentou abriu a maleta e eu não tinha mais tanta certeza se era isso que eu queria, ela leu todo o contrato, não havia um único paragrafo falando sobre fidelidade. Eu escutei tudo com atenção, ela me respondeu com paciência casa duvida.

_Então,_ Ela disse depois de terminar de ler tudo e me explicar_Mais alguma pergunta?

_Não._Eu respondi mordendo o lábio e estalando os dedos da mão direita_ Algum conselho?

_Pretende assinar isso?_Eu não soube o que responder então eu fiquei em silêncio_Apenas não se apaixone por ele, Joe tolera muitas coisas, mas mulheres apaixonadas_Ela abaixou a cabeça rindo_Isso ele não tem o costume de tolerar.

_É eu imagino que não. _Eu sorri, ela me passou o documento e eu o encarei_Eu não... Não tenho certeza agora... Posso ter alguns dias para  pensar?

_Joe disse que você havia concordado com tudo.

_E eu concordei, mas ouvindo você falar_Eu suspirei fundo_ Eu não tenho mais certeza, é muito compromisso, muita responsabilidade, e é tudo novidade. Preciso analisar tudo isso sozinha.

_Bem, sim. Tudo bem, você pode ter seu tempo_Ela guardou tudo e sorriu, quando ela sorria era bem fácil ver o por que de Joe ter dado em cima dela. __Dentro de uma semana você acha que terá a resposta?

_Sim, eu acredito que sim._Eu me levantei segurando o documento preso ao meu peito_Se você me da licença eu tenho que fazer algumas coisas, no  meu quarto.

Eu sai para o meu quarto trancando a porta. Coloquei o documento sobre a cama e fui para o banho, praticamente arranquei minhas roupas e liguei o chuveiro na água gelada, e eu estava chorando. Não sabia exatamente o por que, mas estava.