terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Hurricane Parte 2

 "Então, você diz que sou complicada que eu devo ter perdido a cabeça, mas você estava me subestimando... O que há de errado em ser confiante?" 


  Eu nem poderia pensar direito enquanto limpava toda a casa, passava as roupas. O trabalho era bem monótono e comum para o meu cérebro. Então, foi tudo bem rápido. A cada hora que passava mais ansiosa eu ficava para vê-lo, eu corria para a enorme janela da sala. Lógico que não via ele, mas olhava pra avenida movimentada do mesmo jeito.

  Quando deu 18:30 o telefone tocou. Meu coração pulou. Minha respiração falhou. Eu respirei fundo. De alguma forma eu sabia que era ele ou apenas queria muito que fosse. Corri para atender o telefone, e quando atendi simplesmente não podia parar de sorrir. A voz dele tomou conta do meu corpo e meu coração se acelerou. Santo Deus eu estava com saudades dele.

_Boa tarde Demi._Ele disse e eu me sentei no sofá com as pernas dobradas mordi meu lábio sorrindo e respondi a ele._Esta tudo bem bebe?

_Sim e você como esta Joe?

_Muito bem obrigada, melhor agora com certeza. Agora, vamos ao que interessa, sim?

Hum... Eu fiquei confusa, mas ele riu._O que você esta vestindo querida? Se disser que não esta usando nada em cinco minutos estou aí, juro.

Eu não sei porque, mas eu ri alto.

_Sinto lhe decepcionar Joe. Mas, estou bem vestida._ Eu olhei pro meu shorts e camiseta.


_Hum... Que pena! Bem, eu vou estar em casa dentro de uma hora e eu vou levar o contrato pra você analisar antes de assinar, quem sabe você tem alguma coisa que queria mudar ou alguma exigência.

_Eu... Isso é realmente necessário Joe?

_Sim. É uma segurança.

_Pra você, então tudo bem eu só...

_Não Demi claro que não, é uma proteção pra você, pra mim, para nós.

_Você tem certeza disso?

_Sim eu tenho.

_Isso te faria feliz, Joe?

_Sim, muito.

_Okay, então eu posso ver isso por você.

_Muito bem bebe, a gente se vê daqui a uma hora.

Passei uma hora inteira andando de um lado para o outro. Olhei para a estante repleta de livros, livros dos quais eu nunca mexia apenas lia os nomes, mas nuca passava da primeira pagina. Passou pela minha cabeça pedir a Joe que me deixasse ler alguns. Revisei a conversa que tive com Joe sobre me casar com ele, os pontos principais para mim eram que ele seria meu e apenas meu por um ano. O que mais eu poderia querer?

 Já sei, um pouco de estabilidade, algo real de verdade, amor, paixão e não um negócio com data de acabar. Mas, quero tanto tê-lo pra mim que não me importo, isto não é sensato, mas eu estou apaixonada e nada no mundo é melhor do que estar ao lado de quem a gente ama; mesmo não sendo do melhor jeito. Isso é tão estupido!

  Como posso achar uma boa ideia um negocio que envolve eu me entregar completamente a um homem durante um tempo determinado? O que minha mãe pensaria se fosse viva? Mas, eu me importaria com que ela iria pensar? Bem, mas não é assim que são todos os relacionamentos? Você se entrega a outra pessoa sem saber por quanto tempo irá durar, mas você deseja que dure a vida toda. A bendita fé cega no amor!

Ouço barulho no trinque da porta Joe a destranca e eu me viro ele abre a porta e meu coração se alegra em vê-lo, tão lindo e tão belo para o meu coração. Não posso evitar me alegrar com sua presenças, mas como sempre me contenho, mesmo querendo correr para os seus braços e me aninhar ali para sempre se possível.

Uma mulher loira com cabelos compridos e olhos azuis o acompanhava, a beleza daquela garota, não podia ser real. Eu parei um minuto estava com ciúmes, não era a primeira vez que eu via Joe acompanhado de uma mulher linda. Me perguntei se já havia sentido ciúmes dele antes, e lógico que a resposta era sim ,e eu já senti ciúmes dele, mas, agora havia o sentimento de posse, ainda nem casamos e estava segurando um monte de perguntas do tipo, QUEM DIABOS É ESSA???

_Boa tarde._A garota me cumprimentou, ela tinha a voz doce e um sorriso educado, me senti feia e horrorosa e tive vergonha da minha voz estranha e baixa.

_Boa tarde_Respondi tímida, tomando cuidado para não olhar pro Joe.

Joe sorriu pra mim e me deu um selinho_Essa é a garota que eu falei pra você Ruth, minha noiva, ela não é linda?

Ele me abraçou pela cintura e beijou meu rosto, eu não soube como reagir então apenas abaixei minha cabeça e sorri pro chão completamente envergonhada e achando incrível essa coisa nova em mim, ainda identificada, mas mais uma pra lista de coisas que ele me faz sentir.

_Demi essa é Ruth minha amiga e  advogada.

_Prazer.__Eu disse a ela me virei para Joe falando o mais baixo que pude_Ela sabe do nosso acordo?

_Sim_Ele me respondeu sorrindo_Mas, não se preocupe ela é muito profissional e confiável eu posso lhe afirmar isso._Ele beijou minha testa.

Eu concordei sorrindo e querendo que ele tivesse comentado isso pelo telefone isso mais cedo.

_Então, vamos começar com a leitura do documento?_Ruth perguntou apressada e abrindo a maleta preta que eu nem havia notado ainda, e percebia que havia muita coisa na cor preta em suas coisas.

_Claro_Joe respondeu_Demi pode levar Ruth a cozinha?

_Sim._Eu respondi ainda confusa, tentando me lembrar de já ter visto Ruth antes, mas não conseguia me lembrar dela, nem mesmo seu nome me é comum dentro dessa casa. No corredor eu criei coragem e me virei pra ela, não para encará-la, apenas para poder olhar seu rosto.

_Você e Joe são amigos há muito tempo?

_Sim. Alguns anos.

_Hum, como se conheceram?

_Joe deu em cima de mim em um bar em que estávamos... Foi uma noite bem interessante._Ela sorriu como se eu soubesse do que ela estava falando._Ele sabe ser bem convincente quando quer, fora a beleza, o charme e o carinho dele, Um homem quase perfeito.

_Quase?

_Quase. Ele tem de tudo pra ser o homem da vida de metade da população feminina do mundo, pena que ele prefere apenas se divertir por uma noite, ou duas. Ou quando ele quer. Para Joe Jonas, nunca existe uma única mulher por mais de uma noite.

Pensei nisso e me peguei pensando em todas as mulheres que saiam desse apartamento na manha seguinte iludidas achando que ele ligaria de volta. Ou ainda quantas vezes ele dormiu fora de casa, ou chegou no meio da noite. Ele me prometeu que ele seria só meu por um ano, será que ele conseguiria isso? Eu devia confiar no que ele me disse? Palavras são apenas palavras, por que ele as tornaria alguma coisa? Eu me engoli e continuei andando.

_Como se tornaram amigos, se tiveram um relacionamento tão interessante?

_Simples, conheci Michael._Melhor amigo de Joe. _No começo Michael era apenas uma escada para eu tentar chegar no coração do Joe, acabei me apaixonando pelo Mike, e perdi no interesse por Joe e melhor ainda, descobri que Joe não tem coração, pelo menos não um que se apaixona. _Ela riu alto_ Então, fiquei como amiga de Joe, e esposa de Mike.E sabe de uma coisa? Eu amo Mike, eu o achava patético antes, que, diria?

_É, quem diria? Dizem que o amor faz coisas.

_Sim, faz.

Eu que o diga, olha onde eu estou me metendo, se não for por amor é pelo que então? Se o amor não fizer alguma bagunça no que estava arrumado,então não é amor. Mas, é depois da bagunça que a gente tem certeza se ou não amor. Quando não tem nada além da sensação de paz, mesmo quando tudo esta desmoronando.

 Eu gostaria de saber se realmente existe algo assim de verdade, ou isso é apenas algo que um poeta apaixonado diria. Talvez, seja apenas algo inventado por um poeta apaixonado e otimista, quem sabe um pouco bêbado.

Bem, de qualquer forma, isso não é algo que o Joe possa sentir ou me deixar sentir.

Ela se sentou abriu a maleta e eu não tinha mais tanta certeza se era isso que eu queria, ela leu todo o contrato, não havia um único paragrafo falando sobre fidelidade. Eu escutei tudo com atenção, ela me respondeu com paciência casa duvida.

_Então,_ Ela disse depois de terminar de ler tudo e me explicar_Mais alguma pergunta?

_Não._Eu respondi mordendo o lábio e estalando os dedos da mão direita_ Algum conselho?

_Pretende assinar isso?_Eu não soube o que responder então eu fiquei em silêncio_Apenas não se apaixone por ele, Joe tolera muitas coisas, mas mulheres apaixonadas_Ela abaixou a cabeça rindo_Isso ele não tem o costume de tolerar.

_É eu imagino que não. _Eu sorri, ela me passou o documento e eu o encarei_Eu não... Não tenho certeza agora... Posso ter alguns dias para  pensar?

_Joe disse que você havia concordado com tudo.

_E eu concordei, mas ouvindo você falar_Eu suspirei fundo_ Eu não tenho mais certeza, é muito compromisso, muita responsabilidade, e é tudo novidade. Preciso analisar tudo isso sozinha.

_Bem, sim. Tudo bem, você pode ter seu tempo_Ela guardou tudo e sorriu, quando ela sorria era bem fácil ver o por que de Joe ter dado em cima dela. __Dentro de uma semana você acha que terá a resposta?

_Sim, eu acredito que sim._Eu me levantei segurando o documento preso ao meu peito_Se você me da licença eu tenho que fazer algumas coisas, no  meu quarto.

Eu sai para o meu quarto trancando a porta. Coloquei o documento sobre a cama e fui para o banho, praticamente arranquei minhas roupas e liguei o chuveiro na água gelada, e eu estava chorando. Não sabia exatamente o por que, mas estava.





sábado, 28 de novembro de 2015

Hurricane parte 1


"Eu ouço o eco da promessa que eu fiz "quando você é forte, pode seguir sozinho", mas estas palavras soam distantes quando olho pra você não, não quero seguir sozinho."


Foi uma noite longa e muito, muito mal dormida. 
 Eu não parava de me contorcer na cama ainda me sentindo formigando e meu coração toda vez que eu pensava no Joseph e no seu sorriso convencido quando estava em seus braços tremendo, acelerava de tal forma que me sufocava me deixando sem ar.
 Eu não podia mais não ter isso.

Que proposta tentadora! Ser dele por um ano. Sentir mais disso por um ano. Estar nos braços dele por  um ano. Ser dele e só dele por um ano. E ele ser só meu por um ano. Respeito mutuo, ele me prometeu. 

 Não era justo comigo esse tipo de proposta pra mim. E por que diabos eu? Tanta mulher bonita no mundo e ele escolhe eu! Eu realmente não tenho nada de interessante para dar a ele... Eu na verdade não tenho nada! Merda! Por que eu?

Começo o meu dia cedo e confusa. Arrumo todo o café da manha. Desta vez de uniforme e cabelo preso em um rabo de cavalo, queria ouvir alguma musica, mas com meu chefe em casa não é possível. Vou atrás dos meus fones de ouvido, eu travo uma batalha para desenrolá-los daquela confusão... É assim que se encontra minha mente? 

Quando termino de desenrolar meus fones eu me dirijo a cozinha terminar meu trabalho. Eu precisava distrair minha mente nenhuma musica que me fizesse pensar ou que me desse uma ideia de amor seria bem vinda nesse momento. Eu escolhi David Guetta é o mais seguro no momento. Dangerous, com aquela bendita e bem vinda batida viciante preenchendo o vazio dentro de mim e fazendo minha cabeça se mover apenas no ritmo, sem pensamentos.

You take me down, spin me around
You got me running all the lights
Don’t make a sound, talk to me now
Let me inside your mind


Você me controla, me confunde
Me faz avançar todos os sinais
Fique em silêncio, fale comigo agora
Deixe-me entrar em sua mente





Sim me deixe entrar em sua mente! Por favor! 

I don’t know what you’re thinking, sugar, uh
But I just got that feeling, sugar, uh
I can hear the sirens burning
Red lights turning, I can’t turn back now
So hold on tight





Não sei o que está pensando, querida, uh
Mas estou com aquela sensação, querida, uh
Posso ouvir as sirenes tocando


Os faróis ficando verdes, não posso voltar atrás agora


Então segure firme





I don’t know where the lights are taking us
But something in the night is dangerous
And nothing's holding back the two of us
Baby, this is getting serious
Oh, oh, oh-oh, oh, detain the dangerous
Oh, oh, oh-oh, oh

Show me your soul, I gotta know
Bet that you’re beautiful inside
Toes on the glass, car moving fast
Come take the wheel and drive


Não sei para onde as luzes estão nos levando
Mas há algo perigoso na noite
E nada vai nos segurar
Baby, isso está ficando sério
Oh, oh, oh-oh, oh, detenham o perigo
Oh, oh, oh-oh, oh

Mostre-me sua alma, eu preciso saber
Aposto que você é linda por dentro
Com os pés no vidro, acelerando o carro
Assuma o volante e dirija


Então, em algum momento meus quadris estavam se mexendo e era libertador na verdade! 

Don’t know what you’re thinking, sugar, uh
But I just got that feeling, sugar, uh
And I can hear the sirens burning
Red lights turning, I can’t turn back now
So hold on tight

I don’t know where the lights are taking us
But something in the night is dangerous
And nothing is holding back the two of us
Baby, this is getting serious
Oh, oh, oh-oh, oh, detain the dangerous
Oh, oh, oh-oh, oh, detain the dangerous

Oh, oh, uh, uh, yeah, woah, oh

Não sei o que está pensando, querida, uh
Mas estou com aquela sensação, querida, uh
E posso ouvir as sirenes tocando
Os faróis ficando verdes, não posso voltar atrás agora
Então segure firme

Não sei para onde as luzes estão nos levando
Mas há algo perigoso na noite
E nada vai nos segurar
Baby, isso está ficando sério
Oh, oh, oh-oh, oh, detenham o perigo
Oh, oh, oh-oh, oh, detenham o perigo

Oh, oh, uh, uh, sim, woah, oh


Até cantando eu estava, há quanto tempo não faço isso? Eu me viro e levo um susto, grito quase deixando a travessa com as frutas caírem!

_Santo Jesus!_Eu exclamo em voz alta dou um jeito e puxo meus fones de ouvido e guardo no bolso do avental _Senhor Jonas.

Eu me engulo inteira. Ele nunca começa o dia vestido dessa forma, sempre que o vejo esta bem vestido são raras as vezes em que o vejo sem camisa, e isso por que costumo olhá-lo na academia ou quando, sem querer eu entro em seu quarto sem bater a porta. Houve uma vez constrangedora em que o vi completamente nu ao telefone. Foi realmente constrangedor, mas com certeza uma bela visão.

Agora ele esta na minha frente de calça de moletom e sem camiseta, com seu colar que me lembra que ele serviu o exército por cinco anos, depois da faculdade.

_Bom dia Demi._Ele disse sorrindo ainda com o cabelo bagunçado. Meu apelido pela segunda vez em seus lábios me faz sentir tão bem... _ Sua maneira de dançar é muito sexy e é tão cedo para eu estar excitado!

Meu queixo caiu. Nunca poderia imaginar que Joseph Jonas poderia falar esse tipo de coisa pra mim me sinto uma verdadeira mulher sem ao menos saber o que estava fazendo. E apesar de muita curiosidade e vontade de olhar um pouco mais pra baixo mantenho meu olhar em um ponto fixo. Não em seus olhos afinal, eu sinto meu rosto esquentar devo estar tão vermelha quanto um tomate.

_Bom dia Sr. Jonas._Eu digo e coloco a travessa de frutas na mesa._ Eu não sabia o que o Sr. iria querer comer essa manhã então fiz as panquecas, com ovos mexidos e bacon com queijo, claro as frutas o suco, o café... E há uma torta de maça.

_Acordou com as galinhas hoje?_Ele questionou me olhando.

_Não dormi muito bem. _Eu disse a ele colocando a jarra de suco gelado na mesa. Esse homem nem sabe o que faz comigo... Apenas o seu maldito olhar e eu tenho que me policiar pra não perder a concentração em que eu estava fazendo. Minhas mãos e pernas tremem meu coração acelera, estou com calor e não tem nada haver com o clima. É Joseph ele esta atrás de mim. Eu o amo e o odeio por isso.

Tomo cuidado ao me virar e dou de cara com ele ainda sorrindo. O que por Deus é tão engraçado?

_Você esta me evitando Demetria?

_Não_Digo encarando o chão_Apenas tenho coisas a fazer.

Ele riu _Mal são sete horas! _Ele segurou meu avental ó Deus sessão de tortura_É o mesmo de ontem, anjinho?

_Nã... Não._Eu gaguejo a me lembrar da noite passada... Oh o que ele fez foi tão bom! Eu me senti tão bem, ele fará de novo agora? Pra ser sincera espero que sim. Não sei, meu corpo esta em chamas perto dele. Acho que o toque dele me queima mais e ainda assim ameniza a dor_ E a propósito o senhor sabe melhor do que ninguém que o trabalho se começa cedo.

_Eu te dou muito trabalho?_Ele pergunta tão perto de mim... Seus olhos apenas me fitam de soslaio seus dedos ainda brincam em meu avental... Então porra sim! 

_Você esta me dando algum trabalho agora._ E olho rapidamente pra ele minha respiração esta desordenada e não consigo manter meus pensamentos como pensamentos.

Ele riu alto e tão perto do meu ouvido. Eu estremeci adoro o som da sua risada é definitivamente excitante e alegre. E raro. Ele esta sempre tão ocupado. 

_E este trabalho que estou te dando... É bom?_Ele perguntou baixinho em meu ouvido_Você gosta?

Eu estremeci, peguei fôlego me arrepiei. 

_Oh! Merda!_Eu fecho os olhos_Sim, sim é bom... É o melhor trabalho até agora._Eu digo sincera e um pouco confusa.

_Hm... _Ele beija toda a linha do meu maxilar e morde leve meu queixo dando um beijinho depois_Então, vamos tomar café da manha_Ele me da um selinho e se afasta_Esta com fome?

Eu me sinto perdida e frustrada. O que ele esta fazendo? 

_Não estou com fome_Respondo e percebo em minha voz um tom irritadiço, ele sorri. Que filho da mãe! Eu respiro fundo e sorrio de volta pra ele, eu gosto dele. De verdade. Isso não é estúpido? Sim, eu sei.

_Tire o avental e sente-se para me acompanhar no café da manha_Ele diz sorrindo, mas seu tom de voz diz que é quase uma ordem.

_Você é sempre tão mandão?_Eu digo agora irritada ele me olha um pouco confuso_Não gosto disso, nunca gostei que mandassem em mim.

_Bem, me desculpe._Ele parece genuinamente arrependido e me lembra uma criança quando faz algo de errado e quer as desculpas da mãe. Eu sorrio por que a imagem em minha mente é realmente linda!_ Eu apenas estava tentando ser gentil_Eu levanto uma sobrancelha_ Não estou acostumado a ter que pedir as mulheres a ficarem perto de mim, na verdade elas se jogam sobre mim sempre que tem uma oportunidade. Desculpe._Ele repete_ Gostaria de se sentar e tomar o café da manha comigo?

_Sim._Eu cedo me sentando ao seu lado.

Ele me olhou confuso por um instante. Ele abre a boca para dizer alguma coisa, mas fecha em seguida. E então sorri.

Ele se serve de café e coloca suco pra mim_Já percebi que você nunca toma café.

Minha vez de abrir a boca e fechá-la sem conseguir dizer nada. Percebeu? Quando? Meu Deus eu realmente gosto dele.

_Então você gosta de musica eletrônica?

Eu me sinto novamente perdida, mas me lembro do meu showzinho mais cedo, eu fico morrendo de vergonha.

_Não precisa ficar envergonhada eu já disse foi uma bela dança._Ele sorri piscando pra mim_ Até que não é má cantora.

_Santo Deus!_Eu resmungo_Eu lhe acordei? Me desculpe não foi minha intenção. Eu só não queria ficar em silêncio, desculpe.

_Tudo bem foi um bom jeito de acordar. Não gosta do silêncio?_Ele pergunta curioso me servindo um pouco de ovos com bacon e queijo, me lembro de ter dito que não estava com fome_Eu sei o que você me disse, mas você não jantou  noite passada. Não pode ficar sem comer.

Abro a boca. Não digo nada. Tomo o suco. E como um pouco dos ovos. Meu apetite apareceu devia estar perdido.

_Você não me respondeu querida.

_O que?_Eu pergunto. Estava distraída na minha recente descoberta por fome e o olho e ele me encoraja a comer sorrindo ele se cala e me observa comer com aquele sorriso lindo no rosto perfeito. Eu pego uma panqueca e recheio com os ovos.

_Pensei que não estivesse com fome.

_Eu também _Respondo a ele dando de ombros_Me desculpe.

_Tudo bem_ele toma seu café fazendo o mesmo que eu com a panqueca e os ovos_O que tem contra o silêncio?

_Nada. Absolutamente. Mas, as vezes ele é meio aterrorizador, sabe? Eu tenho estado sozinha e em silencio por muito tempo, quando a solidão e o silencio começam a me assombrar eu ouço musica, leio livros... Não posso deixá-los me atingir Joe... Quero dizer Joseph... Sr. Jonas.

Ele me olha atento, curioso seu olhar demonstra algo que eu não sei nomear... Ah não que não seja pena, por favor!

_Não quis te dar a impressão de menina fraca ou boba, longe disso_Eu disse tomando o meu suco_ Eu sei me cuidar sozinha_Eu sorri pra ele_Não precisa sentir pena de mim.

Ele segurou minha mão sobre a mesa e apertou. Santo Deus isso é bom. Nunca tinha acontecido antes nenhum homem além do meu pai havia feito isso.

_Não estou com pena de você ou nada do gênero Demi_Ele me garantiu_Apenas, admiração, você perdeu seus pais muito jovem e esta aqui linda, forte, inteligente e determinada. Não é digna de pena, é digna de admiração.

Eu sorri pra ele_Obrigada. E a propósito, não musica eletrônica não é meu tipo de musica favorita. Mas, é ótima pra dançar e pra distrair a mente e David Guetta sabe fazer musica.

_Verdade_Ele concorda comigo e solta a minha mão para comer_Mas, eu prefiro Rock.

_Bem, que banda é a sua favorita?_Pergunto entusiasmada não sou muito fã de Rock, mas como toda americana eu conheço muitas e gosto de algumas.

_Kiss deve ser uma das minhas favoritas, me acalma.

_Adoro I Was Made For Lovin You, com certeza eu amo.

_Jura?_Ele pareceu surpreso.

_Você sabe ou deve saber que eu adoro musica Country ou as mais românticas, mas eu gosto um pouco de Rock e vamos e convenhamos Kiss é clássico! Tem uma música favorita deles?

_Forever e Rock and roll all nite. 

_Eu disse clássico!

_Esta dizendo que meu gosto musical é comum?_Ele parecia estarrecido e divertido tive que rir, ele parecia jovem com os cotovelos encostados na mesa e o queixo apoiado nas mãos. Lindo.

_Não_Eu ri_Como eu poderia dizer isso? Eu escuto Country dos mais clichês e românticos!_Eu disse a ele rindo_ Eu disse clássico por que é bom.

_Ah sim!_Ele disse sorrindo_Quando é a formatura Demi?

_Daqui duas semanas... Estou tão ansiosa!

_Já fez algum estágio?

_Não._Eu disse a ele_Eu gosto do curso que escolhi, mas não fiz por mim. Fiz este por que era o que minha mãe sonhava ela era louca por administração e seu sonho era que eu seguisse carreira, mas não sei se é isso que eu quero pra mim... Bem, de qualquer forma agora é tarde.

_Uau Demi isso é realmente triste!

_Eu sei, mas esta tudo bem... Com o tempo eu espero pegar amor pela minha profissão.

Ele me olhou e sorriu_Eu entendo você... Espero que consiga.

_Eu também._Eu disse olhando-o comer. Espero pegar amor pela minha profissão assim como espero que ele pegue amor por mim.

_Você não tem nenhum hobbie algo que goste de fazer?

_Eu gosto de cozinhar e... Desenhar_Eu dei de ombros mordendo o lábio isso era um segredo ninguém além de mim e Selena sabia que eu amo desenhar e agora Joseph._Eu realmente amo desenhar!

_Sério? Isso é novidade pra mim_Eu assenti com a cabeça_O que desenha?

_Pessoas, roupas, lugares... Mas, principalmente roupas!

_Você pode fazer algum curso de estilista e até mesmo artes para se aperfeiçoar... Sabe há um grande mercado pra estilista no mundo dos trabalhos, um curso de costura e você até poderia abrir sua própria loja... Vou pesquisar sobre isso. Tenho um cliente antigo que é estilista e eu posso...

_Ah meu Deus Joseph você não precisa fazer isso.

_Eu realmente quero ajudar_Ele sorriu_Você não tem ideia da paixão com que você falou sobre desenhar suas roupas... Seus olhos brilharam de um jeito lindo quero ver isso de novo.

Meu coração se aqueceu segurei e apertei a mão dele e assenti com a cabeça.

_Eu vou falar com o Erick então. 

_Sim tudo bem, mas não estava falando disso.

_Do que estava falando então?

_Eu aceito sua proposta. Serei sua esposa por tempo determinado e o que mais você quiser que eu seja Joseph.

_O que?_Ele me pareceu surpreso

_Isso o que você ouviu. Serei sua. Você me ofereceu muito a noite passada_Eu corei um pouco por que me lembrei do ele fez... Oh muito mesmo!_ E na verdade você sabe que eu já havia me decidido... Eu meio que disse isso ontem.

_Você tem certeza disso?

_Tenho, absoluta certeza disso.

_Bem, então_Ele sorriu e se levantou_Vou te dar o contrato quando vir almoçar hoje_Ele me puxou me abraçando e me beijou. Me tirou o folego ele sabe beijar e tão bem!_Vamos sair no sábado, e na segunda teremos gente pra contratar.

_Por que? Gente pra contratar?

_Você será minha noiva, futura esposa não vou deixar você trabalhar pra mim_Ele disse como se fosse óbvio passando os lábios pela minha têmpora_Você é tão linda_Ele me beijou_Eu tava louco pra dizer isso, mas a relação patrão e empregado dificulta as coisas.

_Sério?_Eu perguntei pasma.

_Você não faz ideia._Ele sorriu me beijando de novo.

_Eu não me importo de continuar trabalhando em casa sr. Jonas...

_Primeiro me chame de Joe_Ele me deu um selinho_Segundo... Não vai precisar trabalhar mais será  minha esposa seria estranho.

_Donas de casa costumam fazer as coisas para o seu marido._Eu dei de ombros_Mesmo que por um tempo determinado.

Ele me beijou_Você é jovem demais pra ser dona de casa tem um futuro incrível pela frente pra ficar em casa lavando, cozinhando e passando... Mesmo antes dessa proposta de casamento ser feita a você eu estava disposto a lhe oferecer um estágio em minha empresa... Eu sempre soube o curso que você faz e que suas notas são perfeitas Demi.

_Você não acha que isso é um pouco possessivo? Sei lá...

_Só estava preocupado com quem trabalha na minha casa... E depois o reitor da faculdade sempre fala de você pra mim.

_É amigo do Sr. Clarkson?

_A esposa dele tem um projeto comigo há quase 5 anos. Ela é uma negociadora incrível.

_Hmm._Eu disse com ciúmes... Céus ciúmes? Sim ciúmes._Sei.

_Demi?!_Alguém me chama não é Joe é Theo o motorista do Joseph. Theo é um cara legal estava de férias voltou ontem, eu ainda não havia o visto. Eu sai do abraço do Joe e corri abrir a porta ao Theo. Ele era alto moreno claro e olhos verdes 2 ou 3 anos mais velho que o Joe.

_Theo!_Eu pulei em seus braços o abraçando pelo pescoço_Que bom ver você!

_Meu Deus Dem cada vez que vejo você parece mais linda!_Ele sorriu me abraçando forte, então Joseph pigarreou atrás de nós, não entendi o motivo, mas ainda sim me virei rápido pra ele  e envergonhada como se tivesse feito algo errado, me afastei do Theo_Desculpe. Bom dia Sr. Jonas, como vai?

_Bem Theo obrigada, como vai sua filhinha?_Joseph perguntou olhando pra mim, me senti estranha ele estava bravo? Por que? Eu precisava me ocupar e comecei a tirar a mesa do café_E as férias estavam boas?

_Sim senhor Jonas estavam ótimas e a Lindy esta ótima obrigada por perguntar._Theo viu os dois pratos na mesa da cozinha e arqueou uma sobrancelha eu simplesmente fiz o meu trabalho_Que hora o Sr. Vai sair?

_Demi?_Joe disse e olhei pra ele exasperada ainda com as mãos ocupadas_Que hora é pequena?

Ai meu Deus.

Dei de ombros. Ele se aproximou e colocou a mão dentro do bolso do meu avental e tirou meu celular, viu a hora e o colocou de volta. Me deu um selinho seguido de um beijo e se virou pro Theo _saio em 30  minutos. E você Demi deixe essas coisas ai e suba comigo quero falar com você.

_Eu tenho que terminar essas coisas...

_O Theo faz isso, não faz?

_Claro sim... Pode ir Srta. Lovato.

Srta. Lovato? Ah qual é? 

Eu olho exasperada e incrédula para os dois largo tudo na mesa e vou a frente para a sala de estar. Joe gentilmente pega o meu braço e me leva pra subir as escadas ele não diz nada, eu também não. Ele abre a porta do quarto dele e eu entro, ele me segue e fecha a porta.

_Eu posso sabe o que foi isso?_Eu pergunto ao mesmo tempo que ele. Me sinto confusa o que eu fiz?_Estou confusa o que aconteceu lá em baixo?

_Demi ontem você me disse que não tinha namorados e nem muitos amigos e no entanto, hoje você praticamente pula nos braços do meu motorista. O que isso significa?

_Que eu gosto dele?

_Emocionalmente? Esta envolvida emocionalmente com o Theo?

_O que? Não! Eu lhe disse que não estou em nenhum relacionamento amoroso!

_Mas, esta apaixonada por ele?

_Da onde você tira essas coisas?_Eu pergunto de repente irritada... Se ele soubesse que na minha mente e coração não tem lugar pra ninguém além dele.

_Demi me responda. Eu lhe prometi respeito. E espero o mesmo de você e isso não vai funcionar se você estiver apaixonada por alguém... Ainda mais meu motorista!

_Eu não estou apaixonada pelo Theo, acontece que passamos muito tempo juntos e ele é uma das pessoas com quem mais converso desde que vim pra cá. Eu não tinha e não tenho ninguém, ele é uma companhia amigável e engraçada ele é muito bom pra mim. E eu ainda não assinei nada, não lhe devo tantas explicações da minha vida, ainda mais que você pode ter qualquer informação ao meu respeito que quiser Joseph. Eu lhe garanto se realmente levarmos esse "casamento"_Eu fiz aspas com as minhas mãos_Eu nunca trairia você... Eu nunca poderia... 

Antes que eu pudesse dizer qualquer outra coisa ele estava me beijando, quase desesperado como se dependesse do meu beijo. Uma de suas mãos em meu rosto e a outra em minha cintura. Segurei seu braço e o abracei pela nuca. A sua língua praticamente exigia tudo da minha em uma dança sincronizada de desejo e vontades. Quando eu vi ele estava me colocando contra a parede beijando meu pescoço.

_Ah puta merda!_Eu sussurro quando ele passa os beijos para atrás da minha orelha quase na minha nuca.

_Hmm_Ele murmura_Acho que eu amo o seu perfume..._Ele soprou no meu ouvido me fazendo cravar minhas unhas em seus braços_Não quero mais ver você com esse avental._Ele desfaz o laço e deixa avental cair_Eu iria adorar_Ele diz beijando meu pescoço, descendo pra minha garganta, meu colo_Beijar todo o seu belo corpo nu deitado na minha cama_Eu arqueio minhas costas gemendo seu nome mordendo meu lábio_ Mas, estou atrasado... Talvez, eu faça isso mais tarde Demi..._Ele abre os botões do meu uniforme e beija meus seios sobre o sutiã. Ele geme e sussurra algo não consigo entender _Não use mais seu uniforme quero ver você com outras roupas._Ele faz a trilha dos seus beijos pelo caminho de volta até chegar ao meu pescoço ele chupa, eu quase sinto dor com a força com que ele faz isso ele sobe seus beijos pela minha garganta, queixo e finalmente meu lábios.

Meu coração não consegue se aquietar e quando eu penso que ele poderia, Joseph olha nos meus olhos e sorri passando os dedos pelo meu rosto.

_Quer jantar comigo esta noite?

Me sinto perplexa, mas minha resposta é óbvia.

_Sim.

_Que bom_Ele diz  beijando minha testa_Quem sabe você não me toca essa noite?_Ele pisca e de repente ele não esta mais me tocando e se afasta indo em direção ao seu banheiro.

Deus onde me enfiei? Por que ele é tão receptivo e tão distante ao mesmo tempo? Como ele pode ser tão doce e tão fora de controle ao mesmo tempo? Como ele pode ser tão tudo? Será que eu posso sobreviver ao Joe? Ele é como um furacão.... É possível sobreviver estando diante de um furacão?




quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Hurricane Prólogo






"Agora eu vou tomar seu amor, daqui de cima você está aqui e nunca vai me deixar eu vou te carregar por muito tempo seu amor nunca vai me deixar..." 

Qual a coisa mais estupida que uma empregada pode fazer? Se apaixonar pelo chefe! 

 E foi exatamente isso que a burra aqui fez.

Em um ano trabalhando na casa do S.r Jonas, eu o via mais a noite que era quando ele estava em casa. Durante o dia ele apenas trabalha, trabalha, trabalha e trabalha mais um pouco. Ás vezes ele trabalha até mesmo quando estou servindo a janta.

 Quando meus pais morreram eu não tinha muita coisa além de ser filha da empregada da casa da família Jonas e o fato da Denise e Paul me conhecerem desde criança facilitou muito a minha vida para achar um emprego. Eu só não podia imaginar que meu futuro trabalho seria na casa do filho mais velho deles. O belo e intratável Joseph Jonas. 

Em todas as vezes que ele perdeu o tempo dele falando comigo sempre foi muito gentil e educado, mostrando-me que educação e respeito era algo que não lhe faltava quando ele queria usar disso. 

_Demetria._Eu ouço ele me chamar, olho no relógio o que diabos ele esta fazendo em casa a essa hora? Antes das 19:00 horas é novidade para mim. Eu ainda não havia feito a janta. Fiquei com medo de ter feito besteira... Não posso perder esse emprego.

Até o presente momento Joseph havia se mostrado uma boa pessoa, mas meu único dever básico é manter tudo limpo e organizado e claro alimentá-lo. Merda! Ele é um homem de negócios, mas também é um ser humano, talvez tenha tido um dia ruim e resolveu voltar pra casa mais cedo... Não, tinha que ser outra coisa._Demetria! Meu Deus quantas vezes eu vou ter que lhe chamar mais?

Em seu tom de voz pude ver a irritação hora de eu aparecer, a droga dos meus cabelos estavam soltos e ainda um pouco úmidos do banho que tomei, estava de vestido curto sem uniforme, coloquei um avental e apareci na sala tentando amarrá-lo nas costas.

_Desculpe Sr. Jonas_Eu disse quando o vi se servindo de um copo de whisky _Eu estava no meu quarto terminando o banho, não sabia que o Sr. já estava em casa, me desculpe por favor não quis deixá-lo esperando, me desculpe.

_Tudo bem_Ele finalmente me olhou e ergueu uma sobrancelha_ Eu interrompi seu banho?

_Não senhor eu já havia terminado... Mil desculpas pela maneira que me apresentei, mas eu não esperava que o Sr. fosse chegar mais cedo... Se o senhor me der licença eu vou colocar meu uniforme e prender o meu cabelo, me desculpe...

_Eu já disse que esta tudo bem_Ele disse me interrompendo. Eu respirei fundo e encarei o chão, era melhor que encarar os olhos dele me analisando ele devia estar pensando em me demitir_Há algo para comer?

_Me desculpe Sr. Jonas não comecei a preparar a janta, mas se o senhor quiser posso lhe preparar algo pra comer.

_Não será necessário... Quantos anos tem Demetria?_ele perguntou e isso me fez levantar a cabeça e encara-lo nos olhos essa pergunta me pegou desprevenida.

_21 senhor Jonas, desculpe perguntar, mas por que a pergunta?

_Curiosidade._Ele deu de ombros_Quando começou a trabalhar aqui disse que seu salário era o suficiente para pagar a faculdade.

_Sim senhor Jonas.

Por algum motivo ele revirou os olhos_ Terminou sua faculdade?

_Esse é o último ano... Comecei adiantada._Eu expliquei quando ele me olhou confuso.

_Sim... E é faculdade do que mesmo?

_Administração e economia geral._Eu respondi estranhando a conversa que ele iniciou comigo.

_Quanto tempo trabalha?

_Há quase um ano_Eu respondi confusa e insultada sei que minha presença é irrelevante, mas ao menos quanto tempo trabalho pra ele, ele tem que saber.

_Me desculpe Demetria me expressei mal... Quero dizer quantas horas você trabalha por dia?

_Quando não estou na faculdade estou trabalhando.

_Sim_Ele balançou a cabeça e tomou outro gole do whisky caro que ele tanto gosta em seus 34 anos Joseph era um homem magnificamente lindo, barba feita, belo corte de cabelo, roupas feitas a sua medida, sempre perfumado e que perfume... Nas vezes em que o vi na academia que ele tem em casa pude ver bem como cuida do corpo, nada exagerado, mas lindo e bem cuidado. Ele tirou o paletó e a gravata e deixou no sofá abriu mais alguns botões de sua camisa e eu pude ver alguns pelos em seu peito. Enquanto ele bebia seu whisky com as mangas da camisa dobrada pra cima, os pelos do peito a mostra e aqueles lindos olhos castanhos esverdeados encarando a cidade de Seattle, só o que eu poderia pensar era no quanto ele era sexy... Uma visão magnifica do paraíso, pelo menos o meu paraíso secreto._ Então, Demetria?

_Me desculpe Sr. Jonas eu me distraí me perdoe.

_Eu perguntei se você não faz mais nada além de estudar e trabalhar pra mim? Alguma diversão? Amigas... ?

Ele parecia querer dizer mais alguma coisa, mas se calou_Quer um gole de whisky? Posso servir pra você._Minha boca cai no chão, eu arregalei os olhos.

_O... O que?_Eu estava totalmente confusa e perdida onde ele estava querendo chegar com tudo isso?

_Quero conversar com você sei muito pouco a seu respeito... Por que não se senta?

Eu me sentei, não por que queria me sentar, mas por que de repente me senti nervosa e mole como se fosse cair. Me sentei  na poltrona longe dele, então ele pegou seu copo e se sentou perto de mim_Whisky?


_Não, obrigada senhor Jonas.

_Então, agora que esta sentada pode responder minhas perguntas.

Eu pensei nas perguntas dele, mas o hálito dele misturado com o whisky, o cheiro do perfume almiscarado e levemente forte, os olhos dele me encarando por algum motivo ansioso pela minha resposta me desarmou fechei os olhos e me obriguei a respirar e a lembrar as perguntas dele.

Reabri meus olhos_ Não faço nada além de trabalhar e estudar... Quando tenho algum tempo saio com os meus amigos, mas volto rapidamente pra casa.

_Amigos?

_Estão mais pra colegas adoráveis que são muito bons pra mim.

_Não tem amigos?_Ele estranhou meneando a cabeça

_Uma, mas ela não mora mais aqui. Selena é pra quem eu com certeza fugiria se precisasse eu a amo muito.

_Onde ela mora agora? 

_Ela se mudou  com os pais para Nova Jersey há uns 6 ou 7 meses.

Ele passou os dedos pelos lábios, que lábios o que eu não daria para tocar-lhe os lábios? Seria bem capaz de vender meu rim ao mercado negro apenas para tocar. Me repreendi mentalmente por tal pensamento estúpido.

_Tem namorado Demetria?

_O que? _Eu fui obrigada a rir... Eu namorando? Seria trágico se não fosse cômico, mas eu mal tenho tempo pra respirar imagine namorar... Até por que nenhum homem ou garoto seria capaz de despertar em mim o que Joseph desperta._Desculpe, me desculpe... Não, eu não tenho namorado.

Ele deu um meio sorriso_ Namorada?_Ele nem ao menos se mostrou envergonhado ou arrependido com a pergunta. Eu o encarei por uns segundos... Essa era uma pergunta séria? Ele me olhava esperando uma resposta. Era uma pergunta séria.

_Desculpe Sr. Jonas e se eu tiver uma namorada o que isso muda na sua vida ou influencia em meu trabalho?

Ele sorriu e terminou de beber seu whisky_ Esse é exatamente o X da questão... Quero lhe fazer uma proposta, mas para isso tem que ser solteira, se não_Ele deu de ombros_Terei que procurar outra mulher o que é uma pena na verdade por que você é realmente bonita, sexy e atraente _Eu me engoli e me ajeitei na poltrona aquelas palavras mexeram comigo... Lá embaixo... Bem no meu centro eu odiava como apenas as palavras dele me desconcertavam_ E sem contar que você é conhecida e confiável... E então esta ou não esta comprometida com um... Uma namorada?_Ele pareceu um pouco perturbado com a possibilidade, mas isso passou tão rápido pelo seu olhar que eu posso ter imaginado isso.

_Não, senhor Jonas não tenho uma namorada, não estou em nenhum tipo de relacionamento amoroso. 

Ele sorriu e se levantou_Agora aceita o whisky?

_Sim._Eu respondi mais do que depressa. Estava nervosa, ele me deixava nervosa, mas essa noite... Santo Deus eu estava a beira de um colapso nervoso.

Enquanto ele servia um drink pra mim e o outro pra ele, ele me olhou de relance_ Com quantos homens já se relacionou?

_Desculpe? Creio que não entendi.

_É bem capaz você parece tão inocente... Quero saber quantos namorados teve e com quantos você fez sexo?

Eu arregalei meus olhos... Ele estava falando sério. 

_Que tipo de proposta o senhor quer me fazer? _Eu precisava usar a razão, por que senão se duvidasse se ele me pedir pra fazer sexo com ele aqui na sala agora eu... Acabo aceitando.

_Me responda Demetria_Ele se aproximou e me entregou o Whisky que eu aceitei e bebi juro que aquela foi a melhor bebida que eu já bebi, doce e amarga ardente e deliciosa.

_Eu não sei se quero responder isso..._ Era vergonhoso falar da minha vida sexual pra ele... Ou da falta da minha vida sexual.

_Responda Demetria._Aí  esta o autoritário Joseph Jonas eu respirei fundo e bebi mais um gole do Whisky.

_Nunca namorei. Sou virgem._Eu respondi sem olhá-lo, mas ouvi quando ele se engasgou.

Rindo ele me perguntou_Esta falando sério? Você é virgem?

_Qual é o problema em ser virgem afinal? _Eu me levantei e sai de perto dele indo até a enorme janela Seattle esta quase toda coberta pela noite, os últimos resquícios de sol desaparecendo no horizonte. _Por que isso é tão engraçado para o Sr., Sr. Jonas?

_Desculpe Demetria_Eu senti quando ele chegou perto de mim atrás de mim, ele me segurou gentilmente pelo cotovelo e me virou para ele. Acho que nunca fiquei tão perto assim dele... É maravilhoso. Inebriante. Meu coração pula mais que escola de samba no carnaval em plena Sapucaí, minhas pernas são gelatinas, e há uma festa de borboletas em meu estômago._Eu não queria que pensasse que estou zombando de você, na verdade você ainda ser virgem é adorável._Ele sorriu doce pra mim, meu Deus ele sorriu doce pra mim... Estou morrendo de alegria e nervosismo... O que tudo isso significa?_ Esta se guardando para alguém especial?

Eu menei a cabeça nunca pensei nisso. Houve um tempo que eu pensei que houvesse algo errado comigo por não me sentir atraída pelos meninos... E nem pelas meninas, mas então eu conheci o Joe e o poder que apenas o olhar dele tem sobre mim. O calor infernal, aquela sensação incomoda e prazerosa entre as minhas pernas, os sonhos eróticos comigo acordando molhada, e soada. Eu nunca planejei me guardar para ninguém, apenas aconteceu desse homem cruzar meu caminho e me fazer sentir que sou uma mulher sem ele ao menos me tocar. 

_Não. Eu nunca planejei me guardar para alguém especial.

_Algo haver com religião?

Eu sorri pra ele _Algo muito mais simples_Eu disse a ele.

_Ah é? O que? _Ele me perguntou genuinamente curioso

_Nunca senti vontade_Dei de ombros e bebi o último gole do meu Whisky. Acabou infelizmente... Seria o álcool o responsável por me fazer falar dessas coisas ou apenas minha vontade de continuar falando com o Joe e a curiosidade da sua proposta?

 Joseph parecia em choque ele não se moveu, apenas me olhou, depois de uns cinco minutos onde nenhum dos dois se mexeu, Joseph parece ter tido um lampejo de uma brilhante ideia. Ele sorriu e tirou o copo vazio da minha mão. Ele se voltou pra mim sorrindo.

_Vamos descobrir Demetria...

_Descobrir o que?_Antes que ele me respondesse com palavras senti as mãos deles em minha cintura viajando a quase tocar minha bunda, ele desata o laço do meu avental e eu sinto ele cair no chão. O rosto do Joseph tão perto do meu, prendi minha respiração era quase demais pra mim, eu senti a respiração suave dele no meu pescoço e fechei os olhos. As suas mãos realmente acariciaram a minha bunda por cima do vestido e ele me puxou pra ele dessa forma, eu segurei seus braços tremendo, meu coração batia tão rapido no meu peito, eu gemi mordendo meu lábio quando senti uma das mãos deles acariciando minha pele por baixo do vestido, minha bunda, meu quadril, minha coxa, eu gemi ainda mais alto quando senti que ele sem querer (ou não) tocou minha intimidade. 

_Santo Deus..._Eu resmunguei. Senti Joseph sorrir no meu ouvido e mordiscar minha orelha, meu pescoço e ainda com a mão acariciando minha coxa e intimidade, ele começou a beijar meu colo baixando um pouco decote do vestido e beijando a parte exposta do meu seio. Eu estava tremendo inteira, sem forças nas pernas ele continuava, eu apenas podia sentir, meus seios já estavam a mostra e a vontade pra ele. Joseph mordiscava e chupava um e com sua mão livre massageava e apertava o outro. 

Eu não tinha mais nenhum pensamento coerente, parecia que meus ossos todos eram feitos de gelatina.

_Puta merda_Eu deixei minha cabeça cair pra trás mordendo meu lábio pra evitar um grito, quando a mão dele me acariciou por dentro da calcinha rasgando a pobrezinha... Como ele podia ser tão bom usando as duas mãos ao mesmo tempo? 

_Sabia Demetria que você esta completamente molhada?_Ele sussurrou no meu ouvido. Santa Maria mãe de Jesus me socorre! Cravei minhas unhas em seu braço, ele tinha muita vontade de me fazer provar alguma coisa e eu estava louca pra provar o que ele me desse. Ele mantinha seu dedo tocando e rodeando minha intimidade, enquanto seus lábios me beijavam, e me chupavam sua outra mão me tocava. 

Novamente eu gemia alto e tentava controlar o que fosse que estivesse acontecendo com o meu corpo, mas não conseguia era inútil tentar. Mordi meu lábio, mas não adiantou acabei gritando.

Eu senti um calor tão forte seguindo de um tremor que eu poderia jurar que estava tendo terremoto, mas era apenas eu tremendo dos pés a cabeça, me sentindo cansada, satisfeita, e por alguma razão desconhecida muito, muito relaxada. Senti os lábios do Joseph me beijando e abri meus olhos, eu nem havia reparado que estava de olhos fechados.  Os fechei novamente, o calor que estava passando aumentou quando eu senti sua língua na minha brincando, provando, testando... Provocando. Era maravilhoso.
 Ele separou o beijo e de repente o único lugar que ele me tocava era na minha cintura, para me manter de pé.

Eu respirei fundo tentando controlar minha respiração. Assim que eu me senti mais estável abri meus olhos e encontrei a minha frente um Joseph sorrindo de maneira radiante e convencido. Me senti envergonhada e timida. Percebi a situação que meu vestido se encontrava e tentei arrumar, mas eu tremia muito. Joseph ajeitou o decote do meu vestido e a barra. Eu passei a mão pelo vestido e olhei pro chão um fino material rosa no chão. Os restos da minha calcinha. Mordi meu lábio e senti meu rosto esquentar. O que diabos acabou de acontecer? 

Não conseguia me mexer pra juntar a calcinha, mas também não parava de olhar pra ela. Joseph a juntou e colocou no bolso, não disse nada, não era capaz de formar um pensamento coerente em meu cérebro a não ser...

_O... Que... Q... Que acabou de... De acontecer?_Eu gaguejei feito uma tola sem olhar pra ele ainda.

_Você é uma mulher com desejos de mulher, não há nada de errado com você_Ele respondeu brincalhão eu o encarei confusa e envergonhada_E pela sua carinha anjo_Ele passou delicadamente a mão em meu rosto e eu brevemente fechei os olhos_Acho que acabei de te dar o primeiro orgasmo da sua vida.

Ele sorriu.

Eu fiquei um minuto confusa_ Eu não sou mais virgem? 

Ele sorriu, de maneira doce novamente era um sorriso tão encantador e bonito_ Não anjinho você ainda é virgem.

_Ah!_Eu murmurei. Passei a mão em meu rosto e fiz um coque bem mal feito em meu cabelo e abanei meu rosto com as mãos. Me afastei do Joseph e abri um pouco a janela... A noite já havia caído totalmente e o ar gelado em contato com a minha pele quente me arrepiou. _E o que isso quer dizer? Por que fez isso?
Eu perguntei sem encara-lo.

_Eu precisava saber de algo.

_Por que?_ Eu disse ainda sem olhá-lo

_Por que tenho uma proposta a te fazer... E bem, ela implica algumas coisas.

_Como por exemplo?

_Sexo.

Eu me engoli toda e rapidamente me virei para olhá-lo_Desculpe o que disse Sr. Jonas?

_Não precisa mais me chamar de Sr. Jonas._Ele sorriu_Eu disse que a proposta que eu tenho a lhe fazer envolve sexo.

_Tipo, um namoro?Algum tipo de relacionamento?

_Não chega a ser um namoro... Nem um relacionamento realmente não quero nada disso, esse tipo de coisa não é pra mim.

_Me desculpe, mas eu não estou conseguindo acompanhar sua linha de raciocínio.

Ele me estendeu a mão e eu segurei sem pestanejar._Vamos nos sentar.

E eu assim o fiz Joseph se sentou ao meu lado de uma maneira que eu poderia olhá-lo direto nos olhos, seja o que for não era brincadeira.

_Eu tenho um grande projeto para minha empresa, um dos donos é muito supersticioso e conservador. Eu sou o idealista e dono do projeto. Ele esta muito interessado em trabalhar comigo Dan Mecktubish._Eu assenti com a cabeça trabalho com Joe tempo o suficiente pra saber da importância de seus projetos e empresas. Mas, ainda não entendia que tipo de proposta ele queria me fazer obviamente, não era de trabalhar na sua empresa dele _ Só que Dan só aceita pessoas casadas para seus trabalhos... Ele acredita que um homem casado tem mais responsabilidade _Joseph revira os olhos_ Eu nunca me casei e nunca fui um mal empresário._Ele de de ombros orgulhoso de si mesmo_ E é ai que você entra.

_Como?_Eu realmente não conseguia entender como.

_Eu disse ao Dan que estava noivo e iria me casar um mês antes da entrega do projeto, disse que era tudo muito recente e reservado, porque minha noiva prefere assim.

_Que noiva Joseph?_Eu não podia estar entendo certo.

_Espero que você._Ele disse sorrindo pegando minha mão_ A proposta é a seguinte você aceita ser minha noiva e futura esposa de mentira claro até novembro deste ano, que é quando o projeto será finalizado eu lhe pago a quantia de 600.000, 00 dólares, e então algum tempo depois do projeto finalizado nos separamos e cada um segue sua vida... Só que creio que com essa quantia você não trabalhará mais pra mim.

Ele sorri ainda segurando minha mão.

Eu realmente não estava entendo certo. Ele queria uma esposa de mentira por um determinado tempo e nada mais do que isso, eu seria uma fachada. Um pedaço qualquer de pano que depois de usado seria descartado em uma lixeira qualquer. Senti meus olhos arderem me senti suja e usada.  E uma coisa passou pela minha cabeça.

_Por que você envolve sexo na sua proposta?

_Porque esse é o benefício do casamento certo? Sexo seguro quando você quiser! E além do mais você terá que agir como uma mulher apaixonada, e nenhuma mulher age apaixonada se não tiver um bom sexo.

_Depende do tipo de mulher_Eu disse a ele puxando minha mão e cruzando meus braços._Desculpe Sr. Jonas sinto muito que tenha perdido seu precioso tempo comigo, por que a minha resposta para sua proposta é não.

_Você esta dizendo não a 600.000,00 Dólares e a um sexo que eu posso lhe garantir é muito bom?

_Esta me comparando a uma "puta" de luxo?_Eu disse ofendida me levantando.

_Não, nunca!_Ele se levantou também parecendo confuso e arrependido._Só estou tentando lhe mostrar as vantagens...

_Dinheiro e sexo? Desculpe, mas não consigo ver essas "vantagens" sem ligar a palavra prostituta.

_Demetria não foi minha intenção que pensasse assim, eu apenas achei que...

_Caso não tenha notado tenho vivido muito bem com o pouco dinheiro que eu sempre tive e muito bem sem o bendito sexo_Se bem que depois de experimentar um orgasmo eu acho que teria que fazer isso mais vezes_Eu tenho dois pés, dois braços e um cérebro posso trabalhar mais sem me vender.

_Não quero que se venda, quero que case comigo_Ele disse _Essa é a proposta.

_Mas o dinheiro e o sexo que você disse?

_Como lhe disse seria apenas "vantagens".

Eu menei a cabeça. Reconsiderando. O dinheiro não me faz falta, mas colocando em pauta que eu ficaria quase um ano casada com o Joseph e seria dele tempo o suficiente para conhece-lo melhor e talvez fazer ele se apaixonar por mim... Não seria tão ruim. 

Mas, a parte do dinheiro me incomoda.

_Casar para separar... O nosso casamento já teria uma data de vencimento?

_Sim é... Essa é a proposta. Muitos casamentos acabam.

_Eu não sei Joseph isso é um tanto estranho... Podemos fazer isso?

_Podemos, perante a lei. E eu já mandei redigir um contrato. A única coisa que eu peço é sem escândalos e traições. O respeito será mutuo eu lhe prometo isso.

Eu assenti com a cabeça.

_E se eu ... Não aceitar o dinheiro? Eu posso não aceitá-lo?

_Demetria o dinheiro assim como o contrato seriam uma proteção para você... Você vai precisar de muitas coisas para me acompanhar em meu estilo de vida.

_Mas eu não me sentiria bem aceitando tanto dinheiro pra ficar com você... Mesmo que em um casamento falso... Você é tão maravilhoso eu faria isso de graça e de olhos fechados.

Ele sorriu e eu me dei conta de que coloquei meus pensamentos em voz alta.

_Santo Deus me desculpe eu falei besteira, me desculpe Joseph.

_Não tudo bem. Demetria vai precisar de dinheiro... Caso aceite, claro.

_Serei sua esposa, certo?_Joseph concordou com a cabeça_Aquilo que você achar que eu preciso você me compra _Dei de ombros_ E depois do divórcio eu lhe devolvo tudo.

_Demetria não vou me casar em comunhão de bens, se nos casarmos quando nos separarmos você não leva nada.

_Parece justo pra mim.

_Não parece justo pra mim_Ele disse sério_Parece que estou me aproveitando de você e da sua inocência...

_Eu não posso aceitar o dinheiro... Só de pensar nessa hipótese me sinto suja_Eu estremeço.

_Então o que eu achar que você precisa e te der fica com você. Tudo.  

_Você é tão teimoso!

_Você também não fica atrás_Ele sorriu_Aceita essa concessão no nosso acordo ou não? Claro se você aceitar, por que conversamos, mas em nenhum momento você disse se aceitava ou não.

_Parece uma boa proposta e bem honesta... Mas, eu não sei... Eu posso ter algum tempo pra pensar?

_Bem, hoje é quinta feira... Domingo há um evento que eu irei participar e Dan também se você aceitar eu gostaria que me acompanhasse... Acha que consegue me dar uma resposta até domingo de manhã?

Eu respirei fundo e estendi a mão pra ele_Eu te dou uma resposta até sábado as 18 horas. Para te dar tempo de arrumar tudo o que precisa ser arrumado, caso eu aceite.

_Você já aceitou_Ele sentenciou segurando minha mão_Por que esta fazendo toda essa... Digamos confusão?

_Preciso me proteger e ter certeza do que eu quero Joseph, não é só a minha vida que esta nesse jogo, e nem só a sua, mas muitas outras. Tenho que avaliar tudo.

_Avalie isso também: Por quase um ano eu serei apenas seu.

Meu coração errou uma batida e eu respirei fundo.

Será que ele já havia percebido que eu me sinto atraída por ele e por essa razão ele me fez essa proposta? Ele já sabia que eu não diria não? 

_Bem, Joseph se você não vai querer jantar então eu acho melhor eu ir estudar tenho alguns trabalhos e provas esse semestre... Não posso vacilar agora que eu to acabando.

_Concordo. 

_Vai precisar de mim pra mais alguma coisa Sr. Jonas?

Ele sorriu me puxando pela mão ele me abraçou pela cintura_Você não tem ideia do tanto que eu preciso de você... Mas, não vou te contar agora_Ele passou os lábios pelo meu pescoço beijando delicadamente_ E já que não posso jantar você essa noite_ puta merda! Me agarrei ao braço dele gemendo só com a maneira que ele falou_Vou esperar mais um pouco... Se eu sentir fome... De comida_Ele enfatizou _eu me viro sozinho. 

Então ele me deu um beijo e me soltou.

_Persuasão? 

_Esta funcionando.

_Talvez...

Ele sorriu_ Então, talvez seja persuasão Demetria.

_Demi_Eu disse a ele _Prefiro que me chamem de Demi.

_Pois bem então Demi... Gostei.

Eu sorri pra ele e me virei pra pegar meu avental esquecido no chão, isso eu guardaria pra sempre comigo.

_Boa noite Sr. Jonas... Quero dizer Joseph.

_Boa noite Demi.

Eu sai dali caminhando rápido pro meu quarto, eu não dormiria essa noite de forma alguma, mas não custa tentar...

 Me casar com Joseph por quase um ano? Um casamento sem amor, e com prazo de validade... Será que vale a pena?